top of page

ABERTURA DO FÓRUM SOCIAL MUNDIAL JUSTIÇA E DEMOCRACIA TERÁ A PRESENÇA DE DILMA ROUSSEFF


De 26 a 30 de abril, Porto Alegre recebe o Fórum Social Mundial Justiça e Democracia (FSMJD), um movimento de resistência, a partir da busca busca por transformação do sistema de justiça. A partir das 17 horas, os participantes darão início à concentração, no Largo Glênio Peres, para a tradicional marcha pelas ruas do centro histórico da capital gaúcha, seguindo os mesmos passos das jornadas do Fórum Social Mundial (FSM). A abertura oficial será às 19 horas de quarta-feira (27/4), no Auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, com a presença de Dilma Rousseff. A ex-presidenta é uma das convidadas da mesa "Vítimas do Sistema de Justiça", uma das cinco mesas de eixos temáticos, que serão desmembradas em mais de 70 outras atividades autogestionadas que integram a programação do FSMJD. Além da ex-presidenta Dilma Rousseff, a atividade contará com a participação da advogada indígena Fernanda Kaingang, de Marinete Silva, mãe de Marielle Franco, vereadora (PSOL) assassinada em 2018; da pedagoga Ana Paula Oliveira, uma das fundadoras do coletivo Mães de Manguinhos, do Rio de Janeiro; e do jornalista Luís Nassif, colunista independente do Jornal Gente Nova (GGN). A mediação ficará a cargo de Tânia Maria Saraiva de Oliveira, advogada da Coordenação Executiva da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD).

MESA "VÍTIMAS DO SISTEMA DE JUSTIÇA" Dilma Roussef– Primeira presidenta do Brasil. É uma economista e política brasileira, filiada ao Partido dos Trabalhadores e 36ª Presidenta do Brasil, tendo exercido o cargo de 2011 até seu afastamento por um processo de impeachment em 2016. Fernanda Kaingang – Advogada e mestre em direito público. Militante indígena. Fernanda é a primeira advogada indígena do Sul do Brasil e do povo Kaingang. Foi a primeira indígena a ser aprovada no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Trabalhou na Fundação Nacional do Índio (FUNAI). Marinete Silva – Mãe de Marielle Franco, vereadora (PSOL) assassinada no ano de 2018, em um atentado ao carro em que estava. Marielle virou símbolo de luta pela justiça, dos direitos humanos, das populações vulneráveis e da sobrevivência da população negra. Ana Paula Oliveira – Pedagoga. É uma das fundadoras do coletivo Mães de Manguinhos, existente na favela da Zona Norte do Rio de Janeiro. Em 2014, teve o filho Johnatha, 19 anos, assassinado por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). O Mães de Manguinhos é uma rede que luta contra todos os tipos de violência, principalmente a policia. Luís Nassif – Jornalista. Foi colunista de economia e membro do conselho editorial do jornal Folha de São Paulo, escrevendo por muitos anos sobre economia neste jornal. Hoje, ocupa o cargo de colunista independente do Jornal Gente Nova (GGN). Tânia Maria Saraiva de Oliveira (mediadora) – Advogada, historiadora e pesquisadora. Membra do Grupo Candango de Criminologia da Unb – GCcrim/Unb. Membra da Coordenação Executiva da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia – ABJD e membra do Comitê Facilitador do Fórum Social Mundial Justiça e Democracia. O Fórum representa o engajamento permanente das inúmeras entidades e movimentos da sociedade para fazer uma outra História, a partir da construção de consciência coletiva e de respeito à diversidade dos diferentes povos do planeta.

Comments


JORNALISMO LIVRE E INDEPENDENTE_edited_e
  • Twitter
  • Facebook
  • Youtube
bottom of page