top of page

Confira as informações atualizadas da Defesa Civil sobre Barragem do Salto e o alerta para elevação do Rio Jacuí

Após os expressivos volumes de chuva no norte do RS, a Barragem do Salto, localizada em São Francisco de Paula, passou a operar em status de Emergência em razão da existência de risco de deslizamento de encosta, que pode provocar onda às margens do Rio Caí e reservatório.


Os moradores próximos das possíveis áreas atingidas nos municípios de São Francisco de Paula, Caxias do Sul, Canela, Gramado, Nova Petrópolis, Vale Real e Feliz já foram informados do risco pelas prefeituras e Defesas Civis municipais, sendo que já foram adotadas as medidas preventivas de retirada de pessoas de áreas de risco e encaminhamento a locais seguros.


Na imagem acima é possível visualizar a mancha caso se confirme a inundação.


Se você mora em áreas próximas ao rio nessas localidades, procure informações com a prefeitura da sua cidade sobre locais seguros para sua permanência durante o período de risco (pelo menos 24 horas).

ATENÇÃO MORADORES DA ZONA NORTE DA CAPITAL E REGIÃO METROPOLITANA

O Rio Jacuí apresenta tendência de seguir em níveis elevados, conforme a vazão for escoando e descendo das bacias dos Vales.


Com isso, regiões já inundadas continuarão em elevação, podendo atingir e, até mesmo, ultrapassar os níveis registrados recentemente, entre terça e quarta-feira, em razão das chuvas intensas.


As regiões mais críticas no rio Jacuí são aquelas que foram significativamente afetadas no evento anterior, principalmente no delta das bacias próximas de Eldorado do Sul, Guaíba, região das Ilhas, Canoas e Nova Santa Rita, onde se encontram os Rios Sinos e Jacuí, e a zona norte de POA.


Não retorne a locais inundados, fique em segurança até que o nível das águas baixe.

Acione a Defesa Civil de sua cidade para informações sobre abrigos públicos, onde permanecer em segurança e rotas de fuga. Se precisar sair de sua casa, faça-o de maneira ordenada e antecipadamente.


Atualização dos serviços de infraestrutura do RS

publicação: 14/05/2024 às 18h45min


O governo do Rio Grande do Sul retomou, na terça-feira (30/4), a divulgação do monitoramento dos serviços de infraestrutura no Estado, após as fortes chuvas que começaram na segunda-feira (29/4).


Além de atualizar o nível das águas e a situação do fornecimento de água, energia elétrica e telefonia, os boletins também trazem um painel interativo sobre bloqueios em rodovias gaúchas, outro sobre rotas alternativas e, ainda, o panorama nas escolas da Rede Estadual e dos portos e aeroportos.


Os dados são reunidos pela Secretaria de Comunicação, a partir de informações enviadas pelas secretarias do Meio Ambiente e Infraestrutura, de Logística e Transportes, e da Educação.


A divulgação ocorre duas vezes ao dia, às 9h e às 18h, e o monitoramento seguirá até que haja normalização dos serviços e desbloqueio das estradas.



Rios às 17h

  • Lago Guaíba - Porto Alegre – 5,23 metros (cota inundação 3,00 Centro; 2,10 Ilhas)

  • Rio dos Sinos - São Leopoldo - 6,77 metros (cota inundação 4,50)

  • Rio Gravataí - Passo das Canoas - 5,83 metros (cota inundação 4,75)

  • Rio Taquari - Muçum – 9,89 metros (cota inundação 18,00)

  • Rio Caí - Feliz – 4,37 metros (cota inundação 9,00)

  • Rio Uruguai - Uruguaiana – 11,67 metros (cota inundação 8,50)

  • Lagoa dos Patos (São Lourenço do Sul) – 2,50 metros - 7h (cota inundação 1,30)


Energia elétrica, água e telefonia

  • CEEE Equatorial: 125.456 pontos sem energia elétrica (6.9% do total de clientes);

  • RGE Sul: 132.600 pontos sem energia elétrica (4,3% do total de clientes);

  • Corsan: 159.662 clientes sem abastecimento de água (5% do total de clientes);

  • Tim: serviço normalizado;

  • Vivo: 7 municípios sem serviços de telefonia e internet;

  • Claro: serviço normalizado.


Panorama nas escolas estaduais

Dados das escolas afetadas (danificadas, servindo de abrigo, com problemas de transporte, com problema de acesso e outros):

  • 1.055 escolas

  • 248 municípios

  • 29 CREs

  • 368.833 estudantes impactados

  • 539 escolas danificadas com 219.926 estudantes matriculados

  • 84 escolas servindo de abrigo

Rodovias

As chuvas que atingiram o Estado provocam danos e alterações no tráfego nas rodovias estaduais gaúchas. Atualmente, são 100 trechos com bloqueios totais e parciais em 51 rodovias, entre estradas, pontes e balsas. As informações são do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), consolidadas com o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), abrangendo também rodovias concedidas e as administradas pela Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR).


A Secretaria de Logística e Transportes (Selt) trabalha para desobstruir as rodovias o mais rápido possível, de maneira a garantir o tráfego de veículos e pedestres. Veja a seguir a situação de cada rodovia atingida.



Portos e aeroportos

As chuvas e enchentes que atingem o Estado destruíram boa parte da infraestrutura de estradas do Rio Grande do Sul. Por isso, portos e aeroportos formam corredores de transporte fundamentais nesse momento, trazendo socorro e garantindo o abastecimento das regiões atingidas.


Confira a situação dos três portos e dos principais aeroportos regionais que operam no Rio Grande do Sul.


Aeroportos

  • Aeroporto Internacional Salgado Filho: a Fraport Brasil, administradora do terminal, informa que as operações no Porto Alegre Airport seguem suspensas por tempo indeterminado. A orientação aos passageiros é para que entrem em contato com a sua companhia aérea para mais informações sobre os seus voos.


Aeroportos administrados pelo governo do Estado operam normalmente:

  • Canela

  • Capão da Canoa

  • Carazinho

  • Erechim

  • Passo Fundo

  • Rio Grande

  • Santo Ângelo

  • Torres


Os aeroportos administrados pela CCR aeroportos operam normalmente: 

  • Bagé

  • Pelotas

  • Uruguaiana


Aeroportos municipais

  • Caxias do Sul: opera normalmente.

  • Santa Cruz do Sul: opera normalmente.


Portos

  • Porto de Porto Alegre - mantém suspensas as operações, em razão da manutenção do nível do Lago Guaíba acima da chamada cota de inundação.

  • Porto de Pelotas - o embarque de toras de madeira segue suspenso e as atividades estão paralisadas no terminal.

  • Porto do Rio Grande - segue operando normalmente.


Em função da correnteza e a fim de aprimorar a segurança das operações, a Praticagem da Barra vem fazendo uma avaliação para realizar as manobras de entrada e saída de embarcações do canal de acesso ao Porto.


Travessia para São José do Norte - o serviço de transporte de veículos segue operando normalmente, enquanto o de passageiros encontra-se suspenso, em razão do aumento do nível da Laguna dos Patos.

 

Comments


JORNALISMO LIVRE E INDEPENDENTE_edited_e
  • Twitter
  • Facebook
  • Youtube
bottom of page