top of page

AUTORIDADES IGNORAM LIGAÇÕES DO CRIME ORGANIZADO NO ASSASSINATO DE BRUNO PEREIRA E DOM PHILLIPS


A União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Unijava) emitiu uma nota pública nesta sexta-feira (17/6), criticando a investigação da Polícia Federal por descartar o envolvimento de organizações criminosas ou de mandantes nos assassinatos do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips.


A entidade afirma que a PF "desconsidera as informações qualificadas, oferecidas pela Univaja em inúmeros ofícios, desde o segundo semestre de 2021, que apontam a existência de um grupo criminoso organizado atuando em invasões constantes à Terra Indígena Vale do Javari, do qual 'Pelado' e 'Do Santo' fazem parte".


A Univaja afirma que as autoridades ignoram as denúncias sobre as ações do crime organizado. "As autoridades competentes, responsáveis pela proteção territorial e de nossas vidas, têm ignorado nossas denúncias, minimizando os danos, mesmo após os assassinatos de nossos parceiros, Pereira e Phillips", afirmou a Unijava.

A captura do tambaqui para venda ao consumidor está proibida por três anos no Lago do Caiau, em Tabatinga (AM). A determinação consta na Instrução Normativa nº 2, de 11 de agosto de 2021, da Sema (Secretaria de Estado de Meio Ambiente), que reconhece Acordo de Pesca e define regras para o manejo dos ambientes aquáticos no município.


LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA

nota-pf-dom-bruno-17-jun-2022
.pdf
Fazer download de PDF • 145KB

Comments


JORNALISMO LIVRE E INDEPENDENTE_edited_e
  • Twitter
  • Facebook
  • Youtube
bottom of page