top of page

A DRAMATURGIA BRASILEIRA ESTÁ DE LUTO PELAS MORTES PAULO JOSÉ E DE TARCÍSIO MEIRA

O Brasil está de luto pela morte de dois grandes atores, Paulo José, aos 84 anos, na quarta-feira (11/8); e Tarcísio Meira, aos 85 anos, nesta quinta-feira (12/8). Paulo José sofria de Mal de Parkinson há mais de 20 anos e morreu em decorrência de uma pneumonia, após ter ficado internado por 20 dias. Já Tarcísio Meira estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, ao lado da esposa Glória Menezes, de 86 anos, que segue em tratamento.

PAULO JOSÉ Paulo José deixou esposa e quatro filhos: Ana, Bel e Clara Kutner, de seu relacionamento com a atriz Dina Sfat, além Paulo Henrique Caruso. Artistas, colegas e amigos lamentaram a morte nas redes sociais. Paulo José Gómez de Souza nasceu em Lavras do Sul, interior do Rio Grande do Sul, em 20 de março de 1937, e se transformou em um dos maiores nomes da dramaturgia brasileira. O ator teve seu primeiro contato com o teatro ainda na escola, iniciando a carreira no teatro amador anos mais tarde, em Porto Alegre. No início dos anos 60, Paulo José foi morar em São Paulo e começou a trabalhar no Teatro de Arena, onde exerceu diferentes funções. A primeira peça em que trabalhou como ator foi ‘Testamento de um Cangaceiro’, de Chico de Assis, em 1961.


Estreou na Globo como ator na novela ‘Véu de Noiva’, de Janete Clair, em 1969. Seu primeiro grande personagem foi o mecânico-inventor Shazan, que formava uma dupla bem humorada com Xerife, personagem de Flávio Migliaccio, na novela ‘O Primeiro Amor’ (1972), de Walther Negrão. A dobradinha fez tanto sucesso que deu origem ao seriado ‘Shazan, Xerife e Cia.’, escrito, dirigido e interpretado por Paulo e Flávio entre 1972 e 1974. Outros personagens marcantes foram o comerciante cigano Jairo em ‘Explode Coração’ (1995), de Gloria Perez, e o alcóolatra Orestes de ‘Por Amor’ (1997), de Manoel Carlos.

Ao longo de mais de 60 anos de carreira, atuou em mais de 20 novelas e minisséries, entre elas, ‘Roda de Fogo’ (1986), de Lauro César Muniz; ‘Vida Nova’ (1988), de Benedito Ruy Barbosa; ‘Tieta’ (1989), de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares; ‘Araponga’ (1990), de Dias Gomes, Ferreira Gullar e Lauro César Muniz; ‘Vamp’ (1991), de Antonio Calmon; ‘O Mapa da Minha’ (1993), de Cassiano Gabus Mendes; ‘Agora é Que São Elas’ (2003), de Ricardo Linhares, escrita a partir de uma ideia original do próprio Paulo José; ‘Senhora do Destino’ (2004), de Aguinaldo Silva; ‘Um Só Coração’ (2004) e ‘JK’ (2006), minisséries de Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira; ‘Caminho das Índias’ (2009), de Gloria Perez; e ‘Morde & Assopra’ (2011), de Walcyr Carrasco.

Como diretor, participou de alguns episódios de ‘Casos Especiais’ na década de 1980, e das minisséries ‘Agosto’ (1993), adaptação de Jorge Furtado e Giba Assis Brasil do romance de Rubem Fonseca; ‘Memorial de Maria Moura’ (1994), adaptação de Jorge Furtado e Carlos Gerbase da obra de Rachel de Queiroz; e ‘Incidente em Antares’ (1994), adaptação de Nelson Nadotti e Charles Peixoto do livro homônimo de Erico Veríssimo. Ele também fez parte da equipe que implementou o programa ‘Você Decide’.


TARCÍSIO MEIRA

Tarcísio Pereira de Magalhães Sobrinho, como é o seu nome de batismo, nasceu na cidade de São Paulo no dia 5 de outubro de 1935. Considerado um dos maiores atores da sua geração, antes de entrar para o meio artístico, Tarcísio Meira sonhava em ser diplomata. Mas os planos não deram certo: ele reprovou na primeira prova e acabou entrando no teatro naquele mesmo ano, em 1957. Desde então, tornou-se um dos atores de maior destaque na televisão brasileira, sendo reconhecido por uma diversidade de trabalhos. “Irmãos Coragem”, “Guerra dos Sexos”, “Hilda Furacão” e “O Rei do Gado” são algumas das diversas telenovelas presentes em sua filmografia. Sua estreia televisiva ocorreu na antiga TV Tupi, no teleteatro “Noites Brancas”, em 1959. Na mesma emissora, contracenou pela primeira vez com Glória Menezes em 1961, com quem se casaria pouco tempo depois e permaneceu unido por 56 anos. Os atores passaram a ser um dos casais mais reconhecidos da área, e contracenaram em uma pluralidade de trabalhos, com passagem em, além da Tupi, na extinta TV Excelsior e na Rede Globo. Em 1963, participou da primeira novela diária do Brasil, "2-5499 Ocupado", exibida pela TV Excelsior. Naquele mesmo ano, estreou no cinema com o filme "Casinha Pequenina". O longa também marcou a carreira de Mazzaropi, humorista que fazia parte do elenco da obra.


Após quatro anos, em 1967, foi para a Rede Globo, onde atuou em "Sangue e Areia" e fez par com sua esposa Glória Menezes.

Ao todo, o artista paulistano somou mais de 60 anos de carreira, interpretando personagens memoráveis e que estão até hoje no imaginário popular. Sua última aparição na TV foi em 2018, na novela "Orgulho e Paixão", da qual precisou ser afastado por conta da saúde debilitada, causada por uma infecção pulmonar.O ator Tarcísio Meira morreu nesta quinta-feira (12) aos 85 anos, vítima da Covid-19. A informação foi confirmada pela assessoria do ator.


Tarcísio Meira foi casado com a atriz Glória Menezes. Os dois tiveram um dos casamentos mais duradouros da televisão brasileira. Eles se conheceram em 1961 no teleteatro “Uma Pires Comigo”, na TV Tupi. No ano seguinte, quando Glória lançou o filme "O Pagador de Promessas" no Festival de Cannes, o artista se mostrou um admirador e fez questão de enviar uma carta com flores para ela. E foi assim que eles começaram a namorar. Os dois são pais do também ator Tarcísio Filho.

Comments


JORNALISMO LIVRE E INDEPENDENTE_edited_e
  • Twitter
  • Facebook
  • Youtube
bottom of page